Governo do Distrito Federal
17/07/23 Ă s 9h43 - Atualizado em 17/07/23 Ă s 9h47

đŸ“‰đŸ–„ïž Integração das forças e tecnologia impacta na redução de homicĂ­dios no DF

Por Adriana Izel, da AgĂȘncia BrasĂ­lia 

 

Os Ă­ndices de homicĂ­dio estĂŁo em queda no Distrito Federal. O balanço criminal dos seis primeiros meses de 2023 mostra que os casos vĂȘm se mantendo em redução. Entre janeiro e junho, a capital federal registrou 130 vĂ­timas do crime. Esse Ă© o menor nĂșmero desde 2000, quando foram contabilizadas 163 a mais, totalizando 293.

 

A diminuição das mortes se deve a uma sĂ©rie de açÔes do governo no Ăąmbito da segurança pĂșblica. “Temos feito um esforço bastante grande para reduzir ainda mais o nĂșmero de homicĂ­dios”, afirma o secretĂĄrio de Segurança PĂșblica, Sandro Avelar.

 

O GDF destaca investimento em descobrir as causas dos homicĂ­dios para combater a criminalidade | Fotos: Joel Rodrigues/ AgĂȘncia BrasĂ­lia

 

A primeira medida que o titular da pasta aponta Ă© a integração das forças de segurança, que vem acontecendo hĂĄ alguns anos. “PolĂ­cias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e Detran, cada um dentro de suas atribuiçÔes, se juntam e atuam de forma integrada no combate ao crime”, diz.

 

Avaliação das manchas criminais

 

O uso da tecnologia Ă© destacado como um fator determinante para maior segurança pĂșblica | Foto: LĂșcio Bernardo Jr/ AgĂȘncia BrasĂ­lia

 

O uso da tecnologia tambĂ©m Ă© destacado pelo secretĂĄrio como um fator determinante no enfrentamento Ă  criminalidade. “Com a tecnologia aplicada, confeccionamos os mapas com as manchas criminais para identificarmos a hora e o local onde os crimes estĂŁo acontecendo”, revela.

As manchas sĂŁo feitas com o auxĂ­lio das cĂąmeras de videomonitoramento, que tĂȘm sido ampliadas pelo Distrito Federal. “A utilização de tecnologia das cĂąmeras consegue monitorar as diversas regiĂ”es do DF e identificar os pontos principais onde as forças tĂȘm que se fazer presente”, acrescenta. Dessa forma, o policiamento Ă© intensificado nas ĂĄreas onde hĂĄ necessidade de maior vigilĂąncia.

 

Arte: AgĂȘncia BrasĂ­lia

 

AlĂ©m disso, hĂĄ um esforço para identificar as causas da criminalidade e combatĂȘ-las. “Temos trabalhado com integralidade na segurança para combater qualquer desvio ou desordem com margem de incremento aos nĂșmeros da violĂȘncia, como o mato alto, a falta de iluminação e as carcaças”, conta. Essas açÔes sĂŁo feitas com apoio de outros ĂłrgĂŁos do GDF.

Todas essas açÔes que vĂȘm sendo tomadas nos Ășltimos anos tĂȘm dado resultado. Desde 2012, os homicĂ­dios estĂŁo em queda e, no ano passado, o DF atingiu o menor Ă­ndice dos Ășltimos 46 anos, ao registrar 261 casos.

 

“Temos tido a cada ano um novo recorde. É algo que nos dá imensa satisfação e mostra que estamos no caminho certo. Mas temos que continuar inovando e criando cada vez mais”, reflete Avelar.

 

Edição: Vinicius Nader, da AgĂȘncia BrasĂ­lia.

 

Veja também:

 

 

 

Governo do Distrito Federal