Governo do Distrito Federal
8/03/23 Ă s 11h46 - Atualizado em 8/03/23 Ă s 14h39

🚹Crimes contra a vida tĂȘm maior redução no DF desde o ano 2000

 

Por JoĂŁo Roberto (ASCOM/SSP-DF), edição AgĂȘncia BrasĂ­lia

 

O trabalho integrado, o uso de tecnologia e da inteligĂȘncia policial, bem como o constante aperfeiçoamento dos processos de gestĂŁo da segurança pĂșblica do DF vĂȘm mantendo os principais crimes em queda no Distrito Federal. A redução dos crimes violentos letais intencionais (CVLIs) e dos homicĂ­dios vem se mantendo desde o inĂ­cio deste ano, no comparativo com 2022, quando o DF atingiu o menor Ă­ndice de homicĂ­dios dos Ășltimos 46 anos.

 

Nos primeiros dois meses deste ano, o nĂșmero de vĂ­timas de CVLIs – que englobam homicĂ­dios, latrocĂ­nios e lesĂ”es corporais seguidas de morte – foi 6,5% menor que no mesmo perĂ­odo do ano passado. Em relação ao crime especĂ­fico de homicĂ­dios, em fevereiro, foram registradas 19 vĂ­timas, a menor marca desde 2000, quando foram contabilizadas 42, ou seja, 23 vĂ­timas a menos, mesmo com o aumento da população no decorrer de mais de duas dĂ©cadas. No comparativo entre os meses isolados de fevereiro de 2022 e 2021, foi observada uma queda de 36,6% no nĂșmero de vĂ­timas por homicĂ­dio, de 30 casos para 19.

 

“Temos aperfeiçoado, de forma constante, as estratĂ©gias e os processos de gestĂŁo. AlĂ©m disso, atuaremos de forma cada vez mais regionalizada, com estudo e anĂĄlise das microrregiĂ”es, permitindo que nosso trabalho esteja cada vez mais prĂłximo da realidade da população de cada regiĂŁo administrativa, para entendermos quais crimes e desordens estĂŁo impactando, no momento, a segurança e qualidade de vida da população”, destaca o secretĂĄrio de Segurança PĂșblica, Sandro Avelar.

 

Crimes contra o patrimĂŽnio

 

Policiamento e monitoramento contribuíram para a redução dos crimes contra o patrimÎnio | Foto: Divulgação/SSP

Policiamento e monitoramento contribuíram para a redução dos crimes contra o patrimÎnio | Foto: Divulgação/SSP

 

Todos os seis crimes contra o patrimĂŽnio (CCPs), monitorados de forma prioritĂĄria pela SSP, marcam queda em fevereiro deste ano, em comparação com o mesmo mĂȘs de 2022. Destaque para os roubos em coletivo – que, apĂłs uma sĂ©rie de açÔes especĂ­ficas envolvendo as forças de segurança, a Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), representantes de empresas de ĂŽnibus, entre outros ĂłrgĂŁos, marcou queda de 20,7% em fevereiro e, no bimestre, atingiu redução ainda maior, de 42,9% em relação ao mesmo perĂ­odo do ano passado (de 182 para 104 casos).

 

O roubo de veĂ­culo obteve a maior redução em fevereiro, no comparativo com fevereiro. O Ă­ndice ficou em 32,2%, de 143 para 97 ocorrĂȘncias em todo o DF. No roubo a transeunte houve queda de 19%. Os roubos em comĂ©rcio registraram 3,4% de redução e os ocorridos em residĂȘncia tiveram trĂȘs casos a menos: de 23 para 20 mĂȘs passado. Os furtos em veĂ­culos marcaram queda de 22,9% mĂȘs passado em relação a fevereiro de 2022. No acumulado dos dois meses, cinco dos seis CCPs tiveram queda. Os roubos a transeunte (-12,5%), os de veĂ­culo (-18,8%), os em transporte coletivo (-42,9%) e os em residĂȘncia (-13,7%), alĂ©m dos furtos em veĂ­culo (-12,5%).

 

ViolĂȘncia contra a mulher

 

Para o mĂȘs de março, hĂĄ uma sĂ©rie de açÔes previstas pela Segurança PĂșblica para o enfrentamento da violĂȘncia de gĂȘnero. A agenda, que inclui o relançamento da campanha #metaacolher, capacitaçÔes e formação de multiplicadores para prevenção da violĂȘncia domĂ©stica, une-se ao calendĂĄrio do Governo do Distrito Federal (GDF), lançado na primeira semana deste mĂȘs.

 

Nos dois primeiros meses deste ano, foram registrados sete casos de feminicĂ­dios, cinco a mais que no mesmo perĂ­odo de 2022, com dois casos. Em fevereiro deste ano, foram dois casos contra nenhum no mesmo mĂȘs do ano passado. Os registros sĂŁo acompanhados e atualizados por meio da CĂąmara TĂ©cnica de Monitoramento de HomicĂ­dios e FeminicĂ­dios (CTMHF) da pasta.

 

“Fortalecer o trabalho entre ĂłrgĂŁos de governo e sociedade civil Ă© essencial para o enfrentamento da violĂȘncia contra a mulher. Esta Ă© uma questĂŁo prioritĂĄria. Na Segurança PĂșblica temos um programa especĂ­fico sobre essa temĂĄtica, que une diferentes açÔes para coibir esse tipo de violĂȘncia. Temos investido em tecnologia para ampliar e integrar cada vez mais os canais de denĂșncia e a rede de proteção”, afirma o secretĂĄrio.

 

Governo do Distrito Federal