Governo do Distrito Federal
23/03/23 Ă s 16h09 - Atualizado em 23/03/23 Ă s 16h35

đŸ–đŸŒđŸ‘©đŸœâ€đŸŠ±đŸ‘©đŸŒCombate Ă  violĂȘncia de gĂȘnero Ă© tema de webinĂĄrio para jornalistas

Adriana Machado, da Ascom – SSP/DF

 

Como parte da programação voltada para o MĂȘs da Mulher, a Secretaria de Segurança PĂșblica (SSP) promove, no dia 30 deste mĂȘs, um webinĂĄrio voltado para jornalistas que queiram se aprofundar sobre o combate da violĂȘncia de gĂȘnero e ao feminicĂ­dio. A participação se darĂĄ mediante inscrição, que poderĂĄ ser feita atĂ© o dia 28. Basta encaminhar um e-mail com nome, telefone e veĂ­culo de comunicação para conteudo.sspdf@gmail.com, com o assunto “WebinĂĄrio”.

 

Entre outros temas, palestrantes falarão sobre as açÔes de enfrentamento ao feminicídio | Arte: SSP

 

 

“SerĂĄ uma oportunidade de conversar com os comunicadores sobre a importĂąncia da denĂșncia, nĂŁo apenas a feita pela vĂ­tima, mas de todos Ă  volta de qualquer mulher que passe por alguma situação de violĂȘncia”Sandro Avelar, secretĂĄrio de Segurança PĂșblica

 

Com o tema “TransparĂȘncia e uso da tecnologia no enfrentamento Ă  violĂȘncia de gĂȘnero e feminicĂ­dio no DF”, o evento terĂĄ acesso pela plataforma Zoom a partir das 14h. A abertura contarĂĄ com a participação dos secretĂĄrios de Segurança PĂșblica, Sandro Avelar, e da Mulher, Giselle Ferreira, alĂ©m da cofundadora do Instituto Maria da Penha, Conceição de Maria.

 

O objetivo Ă© mostrar resultados e iniciativas da SSP voltadas para o enfrentamento da violĂȘncia de gĂȘnero. De forma interativa, a apresentação serĂĄ feita por gestores de ĂĄreas estratĂ©gicas na temĂĄtica.  O tempo mĂ©dio de cada palestra serĂĄ de 15 minutos, com espaço para perguntas ao final de cada uma delas.

 

DenĂșncias

“A imprensa tem um papel fundamental na formação da opiniĂŁo e pode contribuir para ampliar e aprofundar o debate sobre o combate da violĂȘncia de gĂȘnero e, principalmente, sobre a forma mais grave delas, que Ă© o feminicĂ­dio”, ressalta o secretĂĄrio de Segurança PĂșblica, Sandro Avelar. “AlĂ©m disso, esta serĂĄ uma oportunidade de conversar com os comunicadores sobre a importĂąncia da denĂșncia, nĂŁo apenas a feita pela vĂ­tima, mas de todos Ă  volta de qualquer mulher que passe por alguma situação de violĂȘncia.”

 

Levantamentos feitos pela SSP por meio da CĂąmara TĂ©cnica de Monitoramento de HomicĂ­dios e FeminicĂ­dios (CTMHF) revelam que em 71,1% dos casos de feminicĂ­dio a vĂ­tima nĂŁo havia feito nenhum registro de violĂȘncia domĂ©stica. Durante a investigação do crime, entre essas pessoas que nĂŁo registraram, em 48,7% dos casos hĂĄ informaçÔes no processo – a partir de depoimentos de parentes, vizinhos ou amigos – de que haviam sido vĂ­timas de violĂȘncia anterior –  fĂ­sica, psicolĂłgica, moral, patrimonial ou sexual.

 

“Em 75% dos casos, a violĂȘncia ocorreu no interior das residĂȘncias e quase 80% foram praticados com prĂłprio punho e com o emprego de objetos comuns, como arma branca ou de fogo”, informa o secretĂĄrio-executivo de Segurança PĂșblica, Alexandre Patury. “Isso revela a importĂąncia da denĂșncia para que os ĂłrgĂŁos de governo responsĂĄveis possam atuar e intervir.”

 

Palestras

As temĂĄticas das palestras foram definidas a partir de ĂĄreas estratĂ©gicas e serĂŁo apresentadas por gestores responsĂĄveis pelas ĂĄreas. ParticiparĂŁo o subsecretĂĄrio de Prevenção Ă  Criminalidade, SĂĄvio Ferreira; o coordenador da CĂąmara TĂ©cnica de Monitoramento de HomicĂ­dios e FeminicĂ­dios, Marcelo Zago; a titular da Delegacia Especial de Atendimento Ă  Mulher II (Deam II), LetĂ­zia Lourenço; a delegada adjunta da Delegacia EletrĂŽnica da PolĂ­cia Civil do DF, Brenda Limongi, e a coordenadora de PolĂ­ticas PĂșblicas da PolĂ­cia Militar do Distrito Federal (PMDF), major Isabela Almeida. TambĂ©m marcam presença no webinĂĄrio representantes da Diretoria de Monitoramento da Pessoa Protegida (Andrea Boanova) e do Grupo Refletir (Larissa de Jesus).

 

Edição: AgĂȘncia BrasĂ­lia e JoĂŁo Roberto

Governo do Distrito Federal