Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/01/13 às 14h36 - Atualizado em 29/10/18 às 12h39

Veja as principais notícias desta quinta-feira, 24 de janeiro

COMPARTILHAR

Cai número de sequestros

Em janeiro de 2011 foram 56 ocorrências. Até agora, DF registra nove sequestros

Governo consegue diminuir o número de casos, mas população ainda teme pela insegurança
Mesmo em meio a onda de violência no Distrito Federal e Entorno e sensação de insegurança por parte da população, o Governo do DF conseguiu diminuir consideravelmente o número de sequestros relâmpagos. Em janeiro do ano passado foram contabilizados 56 roubo com restrição de liberdade da vítima. Neste ano, até ontem (23), foram nove ocorrências. Os dados oficiais só serão divulgados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF) no final deste mês.

O último caso aconteceu na madrugada de ontem quando um casal de servidores públicos foi sequestrado na Asa Norte. Eles ficaram em poder dos bandidos por cerca de 40 minutos. O carro das vítimas foi encontrado ainda na madrugada, na Vila Planalto. Eles ainda sacaram R$ 150 em um caixa eletrônico e deixados na próximo a ponte Costa e Silva.

Uma das medidas que a SSP-DF está recorrendo para diminuir mais ainda os sequestros é a instalação das câmeras de segurança inteligente. Serão comprados 2 mil equipamentos em três etapas. Só no no primeiro lote, o GDF vai gastar R$ 30 milhões.

Na visão do especialista em segurança pública da Universidade Católica, Nelson Gonçalves, a redução dos sequestros se deve à gerência do governo sobre as instituições policiais. Para ele, há uma presença maior dos policiais nas ruas tem conseguido desarticular quadrilhas especializadas no crime. Gonçalves ressalta ainda o programa Ação Pela Vida tem conseguido alertar a população sobre os cuidados com a própria segurança. “Esperamos que o governo continue acertando”.

*Fonte: Alô Brasília

Nova Lei Seca prende 48 motoristas por dia
Rigor. Polícia Rodoviária amplia flagrantes de condutores dirigindo bêbados. Multas e testes de bafômetros são recordes

Um mês após a entrada em vigor da nova Lei Seca, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) aumentou o rigor na fiscalização e obteve resultado recorde. Entre os dias 21 de dezembro do ano passado e o último domingo, foram 141.676 testes de bafômetros, com 3.405 multas e 1.448 prisões de motoristas presos flagrados dirigindo depois de ingerir bebida alcoolica. O número representa 196 testes de alcoolemia, 5 multas e 2 prisões por hora.

A nova Lei Seca amplia os meios de provas para constatar a embriaguez, antes restrita somente ao bafômetro. Além do exame de sangue, o agente pode usar depoimento de testemunhas e até recursos tecnológicos como fotos e filmagens.

Nos últimos anos, houve uma diminuição nos testes de alcoolemia, que não eram obrigatórios. Em 2008, quando a lei entrou em vigor, 42% dos motoristas se recusavam a soprar o bafômetro. Até novembro do ano passado, o índice subiu para 53%.

*Fonte: Metro Brasília

Em um dia, polícia do DF apreende 744 comprimidos de ecstasy
Dois jovens de classe média foram presos com a droga.
Cada comprimido pode chegar a R$ 100 nas festas, informa delegado.

Em apenas um dia, policiais da 27ª delegacia do Recanto das Emas, no Distrito Federal, fizeram a apreensão de 744 comprimidos de ecstasy. Dois jovens de classe média foram presos com a droga. Um deles, de 27 anos, estava com 244 pílulas dentro de um carro na estação Concessionárias do metrô, em Águas Claras, nesta terça-feira (22).

Na manhã desta quarta (23), a polícia prendeu um homem de 20 anos na BR-060, próximo ao Recanto das Emas, com 500 comprimidos da droga.  Segundo a polícia, o jovem estava em um carro alugado e ia entregar as pílulas para um traficante do Distrito Federal.

*Fonte: G1 DF

Homem de 20 anos foi preso nesta quarta-feira (23) com 500 comprimidos de ecstasy

O delegado Fábio Aguiar disse que o rapaz é neto de um delegado da polícia civil de Goiânia, cidade de origem dele. Essa foi a primeira passagem do jovem pela polícia. Embora as duas prisões tenham ocorrido com diferença de apenas algumas horas, a polícia não acredita que os dois participem de um mesmo grupo de distribuição da droga.

Aguiar informou que cada comprimido pode custar entre R$ 50 e R$100 nas festas. A polícia avaliou que os comprimidos apreendidos nesta quarta valem cerca de R$ 25 mil. “Em razão da proximidade do carnaval, nós verificamos um aumento de fluxo de drogas entrando no Distrito Federal”, disse.

Segundo a polícia, a droga  seria distribuída em todo o Distrito Federal.  Policiais da Coordenação de Repressão às Drogas (CORD) vão assumir a investigação. O material apreendido já foi  encaminhado  para o Instituto de Criminalística.O rapaz preso na terça com os 244 comprimidos de ecstasy  deu entrevista durante a apresentação na delegacia.  Ele disse que comprou a droga em Ceilândia para consumo próprio. “Eu não sou traficante, não sou revendedor de 'bala' (ecstasy) e nem preciso disso. Na verdade, a polícia me pegou com a 'balinha' e me prendeu. É uma coisa para fazer festa, para fazer a alegria da galera”, disse.

*Fonte: G1 DF