Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/11/12 às 16h07 - Atualizado em 29/10/18 às 12h40

Veja as principais notícias desta quinta-feira, 22 de novembro

Confira as notícias veiculadas nos jornais da cidade

Polícia apreende adolescentes suspeitos de praticar uma série de delitos em Planaltina

Na manhã desta quinta-feira (22), a Polícia Civil do Distrito Federal apreendeu seis adolescentes que tinham entre 14 e 18 anos. Os jovens foram presos em Planaltina suspeitos de praticar uma série de delitos. Entre eles estão roubos, tráfico e uso de drogas, furtos, sequestro-relâmpago, homicídios e porte de arma. Os garotos foram levados para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e devem ser encaminhados ao antigo  Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje).
A polícia estava cumprindo 41 mandados de busca e apreensão. A delegada Mônica Loureiro, da Delegacia da Criança e do Adolescente 1 (DCA- 1) afirma que desses mandados, pelo menos 16 foram cumpridos e que os outros seis ainda não foram encontrados porque o endereço domiciliar estava errado. Segundo a polícia, outros quatro adolescentes que foram identificados já estão mortos. A polícia aponta que o motivo pode ser algum desentendimento com gangues de Planaltina. Os outros mandados devem ser cumpridos nos próximos dias.

*Fonte: Da redação do Alô, com informações do Correio Braziliense e G1

Homem é preso com 26 armas de fogo

Um homem foi preso pelo porte ilegal de 26 armas de fogo. José Carlos Batista, de 57 anos, trabalha no conserto de armamentos.
A Coordenação de Repressão às Drogas (Cord) chegou ao acusado porque ele era o responsável por arrumar armas de um traficante preso a cerca de um mês.
Segundo o delegado-chefe Luiz Alexandre Gratão, a polícia encontrou no comércio do homem, em Taguatinga Sul, 16 revólveres, duas pistolas, três garruchas, quatro rifles, uma espingarda calibre .12, 172 munições e cinco silenciadores.
“Quem usa silenciador já demonstra não estar com boa intenção”, insinua o delegado.
José Carlos foi indiciado e autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e munições de uso restrito. Se condenado, a pena pode ser de 3 a 6 anos de reclusão.

*Fonte: Da redação do Alô

Lei autoriza porte de arma por agente penitenciário no DF fora do trabalho

Foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal desta quarta-feira (21) a lei que autoriza o porte de armas de fogo por agentes penitenciários mesmo fora de serviço. O projeto é de autoria da Câmara Legislativa e foiaprovado pela Casa em outubro.

A nova lei determina que a arma deve ser fornecida pela respectiva corporação ou instituição e o agente deve ter curso de ao menos 20 horas para o manuseio do equipamento, além de comprovar aptidão psicológica. O GDF tem o prazo de 30 dias para regulamentar a lei.

Em outubro, a Secretaria de Segurança Pública vetou duas portarias que liberavam o uso de armas de fogo por agentes penitenciários fora do horário de expediente. A medida seguiu recomendação do Ministério Público, que entende que as portarias publicadas em 2009 não estão de acordo com a legislação.
Em protesto contra a decisão, os agentes entraram em greve, mas a 3ª Vara da Fazenda Pública declarou a paralisação ilegal e determinou a volta imediata ao trabalho.

*Fonte: G1/DF
 
Polícia prende dois homens suspeitos de assaltar empresa no Sudoeste

A polícia prendeu nesta quarta-feira (21) dois homens suspeitos de assaltar a empresa de serviços gerais Faroclean, na quadra 103 do Sudoeste, no início do mês de outubro. Durante a ação, os assaltantes fizeram nove pessoas reféns.
Um dos presos trabalhava na empresa na época do crime. Segundo a polícia, foi ele que planejou o roubo. Outro assaltante foi preso com a arma do crime.  A polícia informou que já identificou o terceiro participante do assalto.

O delegado Fernando César Costa, da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), disse que a polícia chegou ao autor durante os depoimentos. Segundo ele, o ex- funcionário caiu em contradição várias vezes. Costa disse que o rapaz pediu demissão 15 dias após o assalto.

Imagens das câmeras de segurança do prédio auxiliaram a polícia na investigação. No dia do assalto, o ex-funcionário foi visto chegando na empresa na companhia de outros colegas na hora do crime, mas foi o único que não subiu para o escritório onde outros empregados eram mantidos reféns. Ele também usou um telefone público para despistar a polícia.

O rapaz, de 21 anos, estava em liberdade provisória e trabalhava na empresa havia três anos. O suspeito foi preso em casa, em Ceilândia. A dona da empresa disse que sabia que ele estava em liberdade provisória, mas queria dar uma nova chance ao rapaz.

* Fonte: G1/DF