Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/08/19 às 16h10 - Atualizado em 30/08/19 às 16h38

SSP/DF coordena reunião da Câmara Técnica de Homicídio e Feminicídio

Nicole Vasconcelos, da ASCOM SSP/DF

 

O secretário executivo da secretaria de Segurança Pública, delegado Alessandro Moretti, presidiu a reunião da Câmara Técnica de Homicídio e Feminicídio (CTHF), nesta semana. O grupo tem como objetivo elaborar políticas públicas para prevenção e combate aos crimes contra a vida. Moretti agradeceu o envolvimento de todos os presentes. “Tenho muita confiança no trabalho desta Câmara Técnica”, destacou o secretário executivo.

 

O subsecretário do Sistema Penitenciário (Sesipe), Adval Cardoso, explanou a respeito dos casos de homicídios ocorridos nas saídas de presídios. “Este ano, teremos 11 saídas especiais de presos. Eles têm direito a 33 dias por ano para a ressocialização. Nestes dias, todas as forças serão avisadas, pois precisamos minimizar os riscos de crimes nas proximidades dos presídios”, afirmou o subsecretário.

 

O corregedor-geral da Polícia Civil do Distrito Federal, delegado Anderson Espíndola, faz parte do grupo e fala da importância desta integração. “A Câmara Técnica de Homicídio é de suma importância para a sociedade brasiliense. Aqui nós temos representantes do judiciário, do Ministério Público, da Polícia Militar, Polícia Civil, da SSP, Corpo de Bombeiros. Temos todo um arcabouço, todas as instituições envolvidas com relação a este tipo de delito na prevenção e na repressão deste tipo de delito. Sempre capitaneados aqui pela Secretaria de Segurança”, expôs o delegado.

 

O Subcomandante-Geral da Polícia Militar do Distrito Federal, Coronel Sérgio Luiz Ferreira de Souza, participou da reunião e ressaltou a importância do trabalho em equipe. “É preciso um trabalho cada vez mais próximo, pois mesmo dentro de uma esfera de atuação, trabalhamos em conjunto pelo bem da sociedade brasiliense”.

 

Em 2018, uma Portaria da Secretaria de Segurança criou a Câmara Técnica de Monitoramento de Homicídios e Feminicídios (CTHF) com a finalidade de “elaborar diagnósticos criminais e criminológicos dos delitos consumados e tentados nesta unidade federativa, os quais serão utilizados para definição e adequação de políticas públicas para cada Região Administrativa, para otimizar as medidas repressivas, bem como nortear as ações de natureza preventiva”.

 

Edição: João Roberto
Fotos: Maurício Araújo