Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/11/20 às 18h10 - Atualizado em 14/12/20 às 17h04

🚨Quinto Mandamento: mais de cinco mil abordagens em três meses

Adriana Machado, da Ascom – SSP/DF

 

 

O secretário de Segurança Pública, o delegado Anderson Torres, e o secretário executivo de Segurança. delegado Júlio Danilo, acompanham as ações nas regiões administrativas

Mais de cinco mil pessoas foram abordadas desde o início da Operação Quinto Mandamento, realizada pelo terceiro mês consecutivo – sempre aos finais de semana – no Distrito Federal. Vinte e seis regiões administrativas já foram foco da ação, que tem como objetivo reduzir os Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI). Os pontos de abordagem são definidos a partir de análises criminais e relatórios que revelam a hora, data e local com maior incidência criminal.

 

A Operação reúne representantes das forças de segurança – – polícias Civil (PCDF) e Militar (PMDF), Departamento de Trânsito (Detran-DF) e Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) – e do DF Legal e Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF), sob a coordenação da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF).

 

“O foco principal da Quinto Mandamento é preservar vidas, mas percebemos que a presença policial e abordagens realizadas, que acabam resultando em apreensão de drogas e armas e também cumprimento de mandados de prisão, contribuem com a aumento da sensação de segurança da população e, consequentemente, com a redução de crimes contra o patrimônio, como roubos e furtos”, explica o secretário de Segurança Pública, o delegado Anderson Torres.

 

O Distrito Federal tem alcançado índices bastante positivos em relação à Segurança Pública local. Exemplo disso é a marca alcançada no último mês, como sendo o outubro com maior número de vidas poupadas dos últimos 21 anos, como afirma Torres. “O decréscimo apresentado no último mês mostra que estamos realizando ações efetivas e colhendo os resultados do trabalho e dedicação, por parte da Segurança Pública local e demais órgãos participantes da Operação, como DF Legal e DER”.

 

O efetivo empregado na Operação nesses três meses chegou a 2097, com uso de 706 viaturas. De forma conjunta, a PMDF e a PCDF realizaram 5.254 abordagens pessoais e verificaram 615 veículos. O trabalho complementar ao das polícias é de fundamental para os bons resultados da ação, como afirma o secretário executivo de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo. “Em cada abordagem é feita a checagem de documentação como carteira de habilitação e registro do veículo, além de verificar se há algum mandado de prisão em aberto ou trata-se de um foragido da justiça. Desta forma, essas checagens são essenciais para que possamos retirar das ruas indivíduos com pendências criminais ou envolvidos com o crime”.

 

Os levantamentos para definição dos locais de realização da Quinto Mandamento são feitos pelas subsecretarias de Inteligência (SI) e de Gestão da Informação (SGI). A coordenação fica por conta da Subsecretaria de Operações Integradas (Sopi), vinculadas à SSP/DF. A integração tem sido cada vez maior entre os órgãos participantes, como explica o subsecretário da SOPI, coronel Márcio Vasconcelos. “Cada vez mais há uma integração maior dos operadores das instituições participantes. Percebemos isso sempre que fazemos nossas reuniões para direcionamento de ações e avaliação dos resultados”.

 

 

 

Bombeiros fazem orientações aos estabelecimentos comerciais sobre a importância de manter em dia a documentação e cumprir exigências, como sinalização das saídas de emergência. Ao todo, os militares orientaram 168 estabelecimentos comerciais.

 

O Detran-DF, com apoio do DER/DF, montam pontos de bloqueios nas regiões que a Quinto Mandamento é realizada. Em três meses, os agentes consultaram 1042 veículos.

 

DF Legal
De acordo com o secretário executivo de Segurança, a participação do DF Legal é de extrema importância para coibir desordens sociais e contribuir com a organização das cidades. “Desde o início da Operação contamos com apoio dos servidores do DF legal. Acaba que esse trabalho é complementar à ação policial”. Durante as abordagens, o DF Legal fiscalizou 569 comércios.

 

Edição: João Roberto