Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/01/21 às 20h39 - Atualizado em 14/01/21 às 20h42

ūüö®PCDF faz umas das maiores apreens√Ķes de LSD do pa√≠s

COMPARTILHAR

Divisão de Comunicação, da PCDF

 

A Coordenação de Repressão às Drogas (CORD), da Polícia Civil do distrito Federal (PCDF) efetuou a prisão em flagrante de três homens pelo crime de tráfico interestadual de drogas e associação criminosa, em decorrência do comércio rotineiro de drogas sintéticas, do tipo LSD. A ação ocorreu nesta quarta-feira (13).

 

As investiga√ß√Ķes tiveram in√≠cio no m√™s de junho de 2019, com objetivo de apurar a associa√ß√£o criminosa respons√°vel pelo tr√°fico interestadual de grandes quantidades de drogas sint√©ticas, por parte de um grupo que havia se estabelecido no Distrito Federal e utilizava os Correios para difus√£o do entorpecente por todo o pa√≠s.

 

No decorrer da investiga√ß√£o, os elementos colhidos evidenciaram o envolvimento de tr√™s homens que possu√≠am fun√ß√Ķes predefinidas onde um indiv√≠duo era respons√°vel pela manufatura da droga, outro pela distribui√ß√£o do entorpecente no pa√≠s e um terceiro respons√°vel pela contabilidade e armazenamento da droga do grupo criminoso.

 

Este grupo fazia uso de um programa na internet para negociar a venda de LSD, acreditando estarem em ambiente irrastre√°vel em decorr√™ncia das mensagens trocadas entre si serem criptografadas; entretanto, qualquer indiv√≠duo que entrasse em tal programa e buscasse pelo pseud√īnimo ‚ÄúSEZARU‚ÄĚ receberia informa√ß√Ķes sobre drogas, bem como um farto card√°pio das esp√©cies disponibilizadas pelo grupo e seus valores.

 

Ap√≥s grande trabalho de intelig√™ncia realizado pelos Agentes da CORD, foi poss√≠vel localizar uma autobiografia escrita pelo autor que relata seu envolvimento com as drogas e durante o minucioso trabalho desenvolvido pelos policiais da PCDF, foi poss√≠vel identificar trechos na autobiografia que forneciam dados que possibilitaram qualificar ‚ÄúSEZARU‚ÄĚ.

 

Já com a identificação do responsável pela manufatura da droga, a Coordenação passou a monitorá-lo e percebeu que o mesmo passou grande parte do primeiro semestre de 2020 em São Paulo, onde não cessou com sua atividade criminosa.

 

Mas no segundo semestre de 2020, ‚ÄúSEZARU‚ÄĚ regressou ao DF, quando ent√£o voltou a ser monitorado diuturnamente pelos Agentes da CORD, que, ap√≥s se certificarem que ‚ÄúSEZARU‚ÄĚ estava com grande quantidade de LSD, foram √† campo na inten√ß√£o de dar fim ao grupo.

 

 

Os policiais civis passaram a acompanhar o elemento respons√°vel pela contabilidade e armazenamento dos entorpecentes, quando ent√£o o mesmo foi filmado saindo de sua casa no Guar√°, com uma maleta. Procedendo ao acompanhamento, o homem foi visto entregando a maleta para o respons√°vel pela postagem dos entorpecentes no N√ļcleo Bandeirante.

 

De posse de tal maleta, este indivíduo se dirigiu a uma agência dos Correios, quando então despachou para os Estados do Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Goiás, sete grandes envelopes. Após o despacho dos envelopes, agentes de polícia adentraram à agência dos Correios e os interceptaram, comprovando que naqueles envelopes existiam aproximadamente 2 mil microsselos de LSD.

 

Foi dado in√≠cio √†s pris√Ķes do grupo criminoso, quando ent√£o o sujeito respons√°vel pela contabilidade e armazenamento das drogas e aquele que enviou os envelopes foram presos imediatamente nas imedia√ß√Ķes da ag√™ncia dos Correios. J√° com dois membros do grupo criminoso preso, os policiais deram deslocamento √† resid√™ncia do l√≠der do grupo, quando ent√£o efetuaram sua pris√£o em flagrante.

 

Já com todos os membros do grupo presos, os policiais foram até a residência do responsável pela contabilidade e armazenamento da droga do grupo, quando então foram localizados mais de 50 mil microsselos, além de cristais de LSD e diversos apetrechos para confecção e distribuição da droga para todo o país.

 

Cabe destacar que esta √© a terceira pris√£o de ‚ÄúSEZARU‚ÄĚ, o qual j√° havia sido preso pela antiga DTE da PCDF (atual CORD) e pela Pol√≠cia Civil da Bahia.

 

Ainda √© relevante mencionar que cada microsselo poderia ser vendido em festas pelo Brasil pela quantia de R$ 50, ou seja, a a√ß√£o realizada pela Coordena√ß√£o de Repress√£o √†s Drogas, evitou que o grupo criminoso lucrasse aproximadamente R$ 2,5 milh√Ķes.

 

Pode-se afirmar que as investiga√ß√Ķes desta Coordena√ß√£o apontam que ‚ÄúSEZARU‚ÄĚ era o maior produtor e distribuidor de LSD no pa√≠s.