Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/05/19 às 18h29 - Atualizado em 13/05/19 às 18h31

PCDF deflagra Operação Hefesto

COMPARTILHAR

Divisão de Comunicação/DGPC

 

A Polícia Civil do DF, por meio da Coordenação de Repressão dos Crimes Patrimoniais (Corpatri), prendeu cinco pessoas envolvidas em vários ataques a terminais de autoatendimento bancário ocorridos em Brasília. A ação foi realizada em razão da Operação Hefesto (Deus do fogo na mitologia grega).

 

Trata-se de uma organização criminosa que praticava, desde 2016, furtos mediante arrombamento e roubos no Distrito Federal e Entorno. Quatro pessoas foram presas preventivamente e um envolvido foi detido em razão do cumprimento a mandado de prisão temporária. Duas pessoas ainda estão foragidas.

 

A Corpatri assumiu as investigações desde o início de 2019.  A unidade policial apurou a participação dos suspeitos em cinco grandes explosões ocorridas em Brasília. O grupo utilizava artefato explosivo de fabricação caseira.

 

Em 28 de março deste ano, o bando, que estava armado, invadiu a garagem de um hotel situado no SHTN e roubaram cerca de R$ 400 mil. Os policiais localizaram, em Santa Maria, um dos envolvidos. Os agentes encontraram, no local, fotos da repartição dinheiro proveniente do assalto.

 

Os policiais também prenderam, em Valparaíso/GO, um homem responsável por dirigir o automóvel que transportava os autores após a explosão. No Jardim Ingá/GO, outros dois suspeitos que guardaram e prepararam os veículos antes das explosões também foram presos. Um participante do grupo, responsável por vazar informações sigilosas para os criminosos, foi preso temporariamente.

 

Foram identificados, ainda, dois autores que portavam as armas de fogo e renderam os funcionários no ataque ao hotel. Eles estão foragidos.

 

A Corpatri também apurou a participação dos autores nas explosões ocorridas no anexo do Palácio do Buriti, em um clube recreativo, em três terminais localizados em um shopping do Distrito Federal e em um centro comercial localizado no Lago Sul. Os ataques ocorreram no ano passado.  Os autores confessaram os atentados que, de acordo com a perícia, foram perpetrados de forma semelhante.

 

O delegado André Luis da Costa e Leite, titular da Corpatri, afirmou que a Polícia Civil atuou de forma rápida após a ocorrência do crime. “Foi um trabalho complexo, que culminou na elucidação do crime”, salientou o delegado.

 

O diretor-geral da PCDF, Robson Cândido, ressaltou a realização do trabalho conjunto da Polícia Civil e reafirmou o compromisso da instituição na investigação e combate aos crimes. “Esperamos finalizar o trabalho com a prisão de todos os envolvidos. A PCDF está atuando com força no combate às organizações criminosas”, concluiu.