Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/06/19 às 11h11 - Atualizado em 10/06/19 às 18h42

PCDF deflagra Operação Barba Negra

COMPARTILHAR

 

Divisão de Comunicação/DGPC

 

A Polícia Civil do Distrito Federal, por intermédio da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e apoio da Divisão de Operações Especiais e da Divisão de Controle de Denúncias (DICOE), deflagrou a Operação Barba Negra. A ação ocorreu no sábado (8) e visou reprimir a exploração sexual de crianças e adolescentes que vinha ocorrendo na região de Ceilândia.

De acordo com a Especializada, diversos alvos foram monitorados, dentre eles hotéis e empresas de locação de veículos, objetivando levantar provas suficientes quanto à participação dos alvos no esquema de exploração sexual.

A partir de investigações, a DPCA conseguiu identificar W.S.S.N.L., 50 anos, como alvo principal e responsável pela exploração sexual de meninas, entre 11 e 15 anos de idade. De posse das evidencias, a Especializada conseguiu mandado de prisão temporária e de busca e apreensão contra o acusado, sendo expedidos pela 3ª Vara Criminal de Taguatinga.

Durante as diligências, os policiais localizaram e prenderam o criminoso em um motel de Ceilândia. Dentro do veículo de W. havia duas adolescentes, de 14 e 15 anos, que foram conduzidas à delegacia para as providências legais. O aparelho celular do autor também foi apreendido por conter cenas de sexo explícito com as menores.

W. recebeu voz de prisão em flagrante pelos crimes de exploração sexual, produção de material pornográfico envolvendo criança e adolescente e fornecimento de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.

Simultaneamente à prisão, equipes da DPCA cumpriram o mandado de busca e apreensão no quarto de hotel, cinco estrelas, ocupado pelo autor, localizado em área nobre de Brasília. No local, foi encontrada farta quantia em dinheiro, dólares falsos, computadores, pendrives, relógios de luxo e outros objetos que denotam alto poder aquisitivo.

O homem foi encaminhado à DPCA para os procedimentos policiais de praxe e, logo após, recolhido à DCCP. W. já responde por diversos processos de estelionato e organização criminosa em outros estados da Federação. As adolescentes foram entregues aos responsáveis.

Edição: Nicole Vasconcelos