Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/04/18 às 16h12 - Atualizado em 29/10/18 às 12h55

Março fecha com redução em crimes contra o patrimônio

COMPARTILHAR
Por: Ascom SSP/DF
Os seis crimes contra o patrimônio monitorados pelo programa Viva Brasília – Nosso Pacto Pela Vida apresentaram queda de 21,5% no último mês, ou seja, 1.236 crimes a menos que no mesmo período do ano passado. Nessa conta entram furto em veículo e roubos a pedestres, comércios, residências, transporte coletivo e veículos.
Os índices foram apresentados em entrevista coletiva, nesta sexta-feira (6), com a presença do secretário da Segurança Pública e da Paz Social, Cristiano Sampaio, dos diretores da Polícia Civil, Eric Seba, e do Departamento de Trânsito, Silvain Fonseca, e dos comandates da Polícia Militar, coronel Marcos Antônio Nunes, e do Corpo de Bombeiros Militar, Luiz Cláudio Barbosa. Também estiveram presentes a secretária adjunta da Secretaria Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (SEDESTMIDH), Joana Mello,  do subsecretário d de Fiscalização, Auditoria e Controle, da Secretaria da Mobilidade (Semob), Felipe Leonado, da diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde (SES), Maria Beatriz Ruy, e do subsecretário de Desenvolvimento Regional e Operações da Secretaria das Cidades, Mnoel Alexandre.
Na comparação dos meses de março de 2017 e 2018, os casos desse conjunto de delitos caíram de 5.762 para 4.526. A maior queda, em termos percentuais, foi de roubos de veículos: menos 25,1% crimes. As ocorrências caíram de 499 para 374.
Na sequência, estão os roubos a pedestres com redução de 24,5% (3.726 para 2.812).  Os roubos em residências passaram de 76 para 58 (-23,7%). Os roubos em transporte coletivo, que não levam em conta assaltos em paradas de ônibus – estes entram em roubos a pedestres, diminuíram 23,6%. As ocorrências saíram de 233 para 178.
Principais ações voltadas a assaltos em ônibus:
– Operação Anjos da Guarda da Polícia Militar: abordagens próximas a paradas e dentro dos coletivos.
– Câmeras de segurança: disponibilização de imagens do circuito interno para a Polícia Civil, facilitando investigações
– Bilhete Único: medida da Secretaria de Mobilidade ajuda a diminuir a circulação de dinheiro.
Seguindo a lista, aparecem os roubos em estabelecimentos comerciais – comércios em geral, casas lotéricas e postos de combustíveis, com menos 11,9% casos (168 para 148). Já os furtos em veículos apresentaram um decréscimo de 9,8% (1.060 para 956). Esse tipo de natureza ocorre quando há arrombamento do veículo para retirar algum objeto na parte interior ou ainda para levar as rodas.
Tendência de queda
A redução dos crimes contra o patrimônio é percebida também no acumulado do ano. No primeiro trimestre, foram 19,5% ou 3.197 casos a menos do que no mesmo intervalo de 2017.
Os roubos em residências e em transportes coletivos são as naturezas criminais que mais diminuíram no período: 36,1% e 36%, respectivamente. O primeiro crime caiu de 230 para 147. O outro, de 755 para 483.
Com 25,6% de decréscimo, aparecem os roubos de veículos, que saíram de 1.397 para 1.039. A baixa nos roubos a pedestres, por sua vez, foi de 20,5% (10.140 para 8.060). Os furtos em veículos diminuíram de 3.078 para 2.751 (-10,6%). Os roubos em comércios passaram de 518 para 501 (-3,3%).
Serviço
Atualmente, 19 delegacias de Polícia funcionam 24 horas por dia, incluindo a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) e as Delegacias da Criança (DCA I e II). A Delegacia Eletrônica também está disponível e contribui para  que os crimes no DF não deixem de ser registrados.
De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança de 2017, referente a dados de 2016, o DF é a sexta unidade da federação que menos tem casos de subnotificação de crimes. A publicação é referência nacional em análise de violência.