Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/06/20 às 11h51 - Atualizado em 19/06/20 às 19h51

🚫🍺🚗Lei Seca completa 12 anos salvando muitas vidas no trânsito

COMPARTILHAR

Z̩lia Ferreira, do Detran РDF

 

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal realizará ações educativas e de fiscalização de trânsito para celebrar os 12 anos da Lei Seca, comemorados na sexta-feira (19). De acordo com a Gerência de Estatística do Detran, nos últimos 12 meses o DF registrou o menor número de óbitos no trânsito desde a implantação da Lei nº 11.705, de 19 de junho de 2008.

 

“Embora muita gente ainda insista em dirigir alcoolizado, podemos comemorar a redução de acidentes e mortes nestes 12 anos de vigência da Lei Seca. Só no DF, o número de óbitos caiu de 500 para 220, mostrando que o álcool é sim um dos grandes vilões da segurança viária. Por isso, vamos intensificar nossas ações educativas e de fiscalização. Nosso desejo é que ninguém dirija alcoolizado, colocando a própria vida e a de outros em risco”, destaca o diretor-geral do Detran, Zélio Maia.

 

No primeiro ano após a promulgação da lei, de junho de 2008 a junho de 2009, este número já apresentou uma redução de 15% e os acidentes de trânsito foram responsáveis por 422 mortes, 78 a menos que o período anterior. De lá pra cá, a quantidade de óbitos veio reduzindo de forma significativa e, no último ano, de junho de 2019 até agora, foram registrados 220 óbitos, ou seja, 280 mortes a menos que antes da aprovação da Lei Seca.

 

Durante esses 12 anos, a legislação de trânsito sofreu alterações significativas, principalmente em relação às punições para quem conduz veículo sob efeito de álcool, e os órgãos de trânsito do Distrito Federal têm trabalhado diariamente para conscientizar a população dos riscos de participar do trânsito após o consumo de bebida alcoólica, não apenas no papel de motoristas, mas também como passageiros, motociclistas, ciclistas e pedestres.

 

Vítimas

Dados da Gerência de Estatística de Acidentes de Trânsito mostram que o consumo de álcool e drogas tem sido constatado em exames toxicológicos de grande parte das vítimas do trânsito. Em 2019, por exemplo, das 277 pessoas que morreram em decorrência de acidentes de trânsito, 45% delas (124) apresentaram resultado positivo para álcool e outras drogas. Ao analisar cada vítima, constatou-se que 51 tinham consumido somente bebida alcoólica, 44 consumiram somente outras drogas e 29 tinham consumido simultaneamente álcool e drogas.

 

“Este número assustador ainda pode ser maior, já que o exame toxicológico é feito apenas em vítimas que vieram a óbito no local do acidente ou no mesmo dia”, explica a gerente de estatística, Karina Alves. Segundo ela, os exames toxicológicos feitos pelo IML em vítimas de acidentes, em 2019, apontaram que 31 pedestres, 19 motociclistas, 17 condutores, 11 passageiros e dois ciclistas tinham ingerido álcool. Em relação a outras drogas, 73 vítimas tiveram resultado positivo no exame de sangue, sendo 32 pedestres, 17 motociclistas, oito condutores, seis ciclistas e nove passageiros, além de outra vítima que não teve o envolvimento classificado.

 

Educação

A partir desta quarta-feira (17), as equipes da Diretoria de Educação montarão tendas em pontos estratégicos, no Plano Piloto e em Taguatinga, para disponibilizar orientações e material educativo com o slogan “Uma decisão errada pode destruir muitas vidas”. Também está prevista a realização de uma live na plataforma teams, na sexta-feira (19), a partir das 15h, com os professores da Escola Pública de Trânsito fazendo um breve histórico da legislação e enfatizando a perigosa combinação de álcool ou de qualquer outra droga e direção. Os interessados em participar da live devem acessar o link.

 

Fiscalização

Em 2007, antes da vigência da Lei, foram realizadas 999 autuações, subindo para 2.633 em 2008, quando a lei passou a vigorar. Em 2019, o número de flagrantes de condutores dirigindo sob influência de álcool atingiu a marca de 22.478 autuações, representando 22 vezes o número de autuações registradas no ano anterior à aprovação da Lei Seca. De janeiro a maio deste ano, 6.434 foram flagrados nesta situação.

 

Embora os restaurantes e bares encontram-se fechados e não haja eventos na cidade que favoreçam o consumo de bebidas alcoólicas, como as tradicionais festas juninas, por exemplo, em razão da pandemia de Covid-19, a Diretoria de Policiamento e Fiscalização de Trânsito continua atenta no combate à prática de dirigir sob influência de álcool e vai intensificar as ações com foco na Lei Seca durante todo o mês de junho. Vale lembrar que cada condutor embriagado que é abordado pela fiscalização e impedido de continuar na direção do veículo é uma possibilidade a menos de acidente, gerando mais segurança aos usuários da via.