Governo do Distrito Federal
5/05/22 às 20h41 - Atualizado em 6/05/22 às 10h46

🚨🧑🏽‍🏫Gestores visitam escola de gestão compartilhada em Sobradinho

Adriana Machado e Thaís Umbelino, da Ascom – SSP/DF

Como parte das ações da oitava edição da Cidade da Segurança Pública, que está em Sobradinho com oferta de serviços até sábado (7) e ações de policiamento qualificado até domingo (8), gestores da Secretaria de Segurança Pública (SSP/DF) e representantes das forças de segurança estiveram no Centro Educacional 3 – Colégio Cívico Militar (CED 03 – CCMDF), localizado na região, nesta quinta-feira (5). A escola, que integra o projeto-piloto de gestão compartilhada iniciado em 2019, atende alunos com idades entre 10 e 18 anos, totalizando cerca de 1.650 estudantes.

 

Além de conhecer a estrutura da unidade escolar, a comitiva entrou em salas de aula e conversou com alunos e professores. “Essa é uma forma de nos aproximar ainda mais desses alunos, entender a realidade em que vivem e compartilhar experiências. Foi muito gratificante. Essas visitas foram incluídas em nossas agendas durante a realização da Cidade da Segurança Pública nas regiões que contam com este modelo de ensino”, relata o secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo.

 

O secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo, afirmou: “Essa é uma forma de nos aproximar ainda mais desses alunos, entender a realidade em que vivem e compartilhar experiências” | Fotos: SSP/DF

Para o 3° sargento da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) Cristiano, monitor no CED 03 – CCMDF, o modelo de gestão compartilhada aumenta a segurança dentro e fora da escola, devido a presença dos militares em ambos os locais. “Os alunos perceberam uma melhora no sentido de não ter mais problemas de violência e briga entre alunos. Houve uma mudança geral no sentido de satisfação e hoje há uma fila de espera de interessados que querem estudar na escola”, disse. “Quando chegamos aqui, estávamos com a proposta de atuar de forma mais educacional do que repressora. E a proposta deu certo, porque colocamos para eles todas as regras que deveriam ter dentro das normas educacionais da escola para que pudessem viver em sociedade e terem uma boa conduta dentro e fora da escola. Eles compraram a ideia”, completa.

 

Ele explica, ainda, que a atuação da PMDF busca desenvolver cada vez mais os alunos, por meio da conversa e colaboração. “Aqui também buscamos atuar como educadores. Entendemos que o papel da polícia, dentro das escolas, deve ser voltado mais para a educação, então os policiais buscam ensinar sobre conduta, ser exemplo e conversar com os alunos. O respeito recíproco. A gente procura fazer desse ambiente um local educacional. Não é apenas punir. Essa, na verdade, é a última instância da polícia”, descreve o sargento, que atua há oito anos na área educacional.

 

A estudante do 3º ano do ensino médio, Ana Carolina Bernardes, 17 anos, conta que a participação dos militares na vida estudantil tem sido bastante positiva para os alunos. “O nosso relacionamento com eles é muito bom”, contou a aluna. “Acho que ficou mais organizado e com mais disciplina. Hoje me sinto mais segura na escola”, acrescentou a jovem.

 

Instrumentos musicais e materiais esportivos

Durante a visita, foram entregues aos alunos mais 52 instrumentos musicais, como violão e flauta. “Passam de cem instrumentos agora. Esta é uma escola especial. Mais de três anos e excelentes resultados, com indicadores importantes, como aprovação de alunos no vestibular da UnB. É uma escola que tem lista de espera de pais interessados no modelo”, revela o subsecretário de Escolas de Gestão Compartilhada, da SSP/DF, coronel Alexandre Ferro.

 

“É preciso razoabilidade para percebermos que a disciplina e o processo ensino-aprendizagem são indissociáveis. Dessa forma, com a prática diuturna da disciplina, serão inegáveis os reflexos positivos no campo pedagógico”, comenta o diretor pedagógico, Geraldo Calado.

 

A escola recebeu materiais esportivos, como bolas e redes de vôlei. “O material vai contribuir para ações do contraturno. Quando os alunos ficam na escola, permanecem em um ambiente controlado e em segurança. Estamos iniciando um novo projeto dentro das escolas de gestão compartilhada, que é a escola de campeões, que tem por objetivo levar a prática de atividades esportivas. As aulas ficarão a cargo da Educação”, completa Ferro.

 

Cívico-militar

O modelo de compartilhamento de ensino é uma parceria entre a SSP e a Secretaria de Educação (SEE). A SSP é responsável pela gestão disciplinar, com o emprego do efetivo da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) na coordenação de atividades extracurriculares e nas ações disciplinares voltadas à formação cívica, moral e ética do corpo discente, objetivando o bem-estar social. Já a SEE responde pela gestão administrativa e pedagógica das escolas e pelo cumprimento da proposta pedagógica, conforme a Lei de Diretrizes Educacionais.

 

Integrante do projeto-piloto de gestão compartilhada iniciado em 2019, o CED 03 – CCMDF atende alunos com idades entre 10 e 18 anos, totalizando 1.650 estudantes

Atualmente o projeto atende 11 escolas públicas do Distrito Federal. A 12ª escola, localizada em Brazlândia, passou pelo processo de votação para escolha do modelo, que está sendo implementado:

– Centro Educacional 03, de Sobradinho;
– Centro Educacional 308, do Recanto das Emas;
– Centro Educacional 01, da Estrutural;
– Centro Educacional 07, de Ceilândia;
– Centro Educacional Condomínio Estância III, de Planaltina;
– Centro Educacional 01, do Itapoã;
– Centro de Ensino Fundamental 19, de Taguatinga;
– Centro de Ensino Fundamental 01, do Núcleo Bandeirante;
– Centro de Ensino Fundamental 407, de Samambaia;
– Centro de Ensino Fundamental 01, do Riacho Fundo II;
– Centro de Ensino Fundamental 01, do Paranoá.

 

Edição: João Roberto e Agência Brasília