Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/10/20 às 17h04 - Atualizado em 13/10/20 às 17h33

⚠Dia Internacional para Redução de Desastres – Defesa Civil chama atenção para trabalho preventivo

COMPARTILHAR

Adriana Machado, da Ascom – SSP/DF

 

No Dia Internacional para Redução do Risco de Desastres (RRD) – 13 de outubro – a Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil, vinculada à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), chama atenção para o trabalho de prevenção realizado pelo órgão. No decorrer do ano, operações e atuações específicas são realizadas para redução de riscos de desastres, sejam eles naturais ou bioepidemiológicos, como é o caso da COVID-19.

 

 “A data chama atenção para o trabalho preventivo e também de mitigação, preparo para atuação e resposta em incidentes. Exemplo disso são as ações realizadas pela Defesa Civil no período de pandemia. Desde os primeiros casos nossas equipes atuam nas ações adotadas pelo Governo do Distrito Federal, como distribuição de cestas básicas para população carente, ações específicas em asilos e acompanhamento das ações da Segurança Pública”, explica o subsecretário de Defesa Civil, coronel Alan Araújo.

 

O coronel também chama atenção da população para os cuidados que antecedem o período chuvoso. “Há algumas semanas estamos divulgando os cuidados necessários, como a necessidade da limpeza de calhas para evitar infiltrações na parte elétrica e na estrutura da casa e a fixação correta dos telhados.

 

No decorrer do ano, a Defesa Civil realiza uma série de ações com foco na redução de incidentes, como é o caso da Operação Afrodite – inspeção em motéis nos dias que antecedem o Dia dos Namorados (12 de outubro) e as vistorias realizadas em bares e casas de shows para reduzir possíveis riscos ou ameaças para frequentadores e funcionários dos estabelecimentos. A operação tem o objetivo de fiscalizar os estabelecimentos para evitar acidentes, como o da boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em 2013.

 

Outra ação realizada pela Defesa Civil para prevenção de acidentes é a Operação São Nicolau, em que são feitas inspeções em instalações elétricas e enfeites natalinos em áreas de grande circulação de pessoas. “Neste ano nossas ações foram voltadas para a COVID-19, considerado um desastre bioepidemiológico mundial, mas realizamos diversas outras ações paralelas”, afirma Araújo.

 

Outro serviço que contribui para as ações de prevenção da Defesa Civil é o envio de alertas aos brasilienses – via SMS – com informações sobre tempestades, temperaturas elevadas, abertura de comportas da Barragem do Paranoá, por exemplo. Para receber os avisos é necessário fazer um cadastro prévio, enviando o CEP para o número 40199.

 

Chuvas

 

Com a aproximação do período de chuvas, a Defesa Civil faz as seguintes orientações:

 

Nos casos de destelhamento devido aos ventos fortes, a orientação é permanecer dentro da residência e procurar abrigo, como uma mesa ou cama, para evitar ser atingido por cacos e pedaços de telha. Quando as chuvas forem acompanhadas de raios, é importante não usar telefone ligados em tomadas e não ficar próximo de canos, janelas e portas metálicas.

 

Para quem estiver na rua quando começar uma chuva, a Defesa Civil faz as seguintes recomendações:

– Não segurar objetos metálicos longos, como varas de pesca e tripés;

– Não empinar pipas ou aeromodelos com fio;

– Não andar a cavalo;

– Não permanecer na água;

– Evitar lugares que ofereçam pouca ou nenhuma proteção contra raios, como pequenas construções não protegidas (celeiros, tendas ou barracos) e veículos sem capota, como tratores, motocicletas ou bicicletas;

– Não permanecer em áreas abertas, como campos de futebol, quadras de tênis e estacionamentos;

–  Não permanecer no alto de morros ou no topo de prédios;

–  Não se aproximar de cercas de arame, varais metálicos, linhas elétricas aéreas e trilhos;

– Nunca se abrigue debaixo de árvores isoladas.

Piscinas

Durante as chuvas, a orientação é não entrar em piscinas ou lagos por conta do risco de raios e descargas elétricas. Em rios e cachoeiras, o problema é agravado pela possibilidade de tromba d’água.

Como a tendência dos raios é percorrer o caminho mais curto entre o solo e a nuvem onde foi produzido, não é recomendado estar perto de árvores ou estruturas metálicas.

No caso de inundações, se começar a entrar água dentro de casa, a orientação é desligar o disjuntor para evitar o risco de eletrocussão. O religamento da rede só deve ocorrer depois que ela for revisada, para que não haja colapso no sistema.

Veículos

Em veículos, a dica é não passar por locais alagados. Se o condutor não conseguir ver o meio-fio, que tem em torno de 25 centímetros de altura, o ideal é mudar de rota para não perder o veículo e nem arriscar a própria vida. Em casos de alagamento, o motorista deve sair do carro imediatamente.

Árvores

A poda de árvores que representem risco em áreas públicas pode ser solicitada ao Departamento de Parques e Jardins, da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), pelo 3403.2626 ou às administrações regionais.

Emergências

Em situações de emergência, o primeiro órgão a ser acionado é o Corpo de Bombeiros Militar do DF, pelo 193. A Defesa Civil é chamada pelos bombeiros quando há ameaça iminente de desabamento de estruturas.

Canal direto

O canal direto com a Defesa Civil, para esclarecimento de dúvidas ou solicitações, como por exemplo para avaliação estrutural e de infiltrações, é o 199 ou pelos telefones 3362-1906/1909.

 

Edição: João Roberto