Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/11/18 às 18h51 - Atualizado em 28/11/18 às 10h43

Ocupação irregular do solo aumenta violência e sensação de insegurança

COMPARTILHAR

Joaquim São Pedro

 

O secretário da Segurança Pública e da Paz Social (SSP/DF), Cristiano Sampaio, disse, nesta terça-feira (27), que a ocupação desordenada do solo é um problema grave, porque todas as irregularidades que envolvem as ações ilegais aumentam a própria criminalidade e a sensação de medo que da sociedade.

 

O secretário participou, ao lado do governador, Rodrigo Rollemberg,  do 3º Seminário de Combate à Grilagem de Terra, realizado pela Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), no auditório da Academia do Bombeiro Militar, no Setor Policial Sul.

 

Segundo o secretário, uma invasão irregular não oferece a infraestrutura que tem um loteamento regular, como luz, água, poda de árvores, retirada regular de lixo. “A gente tem um problema grave de ocupação desordenada no DF. Mas nada é tão ruim que não possa piorar. Basta olharmos para alguns estados vizinhos e a gente vê o que a ocupação desordenada provocou como um todo, e não só na questão da segurança”.

 

As invasões desorganizadas impactam diretamente na questão do crime e sensação de insegurança. “Crime e medo são coisas que andam juntas, mas que são diferentes, inclusive no enfrentamento das soluções”, completou.

 

O secretário acrescentou que a redução da criminalidade não necessariamente impacta diretamente na sensação de segurança da população. “Quando você começa a olhar e estudar o medo, percebe que a questão está muito além da segurança pública. Estudos e pesquisas que a SSP faz mensalmente mostram que, principalmente, as desordens urbanas provocam medo. Uma rua escura provoca medo, um terreno baldio com mato alto é a mesma coisa. Enfim, a ausência do Estado nas suas diversas formas causa medo”, disse.

 

Na opinião de Cristiano Barbosa, são dois desafios e para a segurança pública, dois impactos diretos: a criminalidade propriamente dita e a questão do medo que alcança muito mais as pessoas do que que o próprio crime.

 

“A gente sabe que pelo menos 15% da população do DF sofreu algum tipo de crime, mas 90% da população sente medo. Então, as pessoas sofrem muito mais com o medo do que com o crime. Este é o desafio, de enfrentar as duas questões com a consciência de que são coisas separadas”, disse.

 

Durante o evento, a presidente da Agefis, Bruna afirmou que, nos os quatro anos da atual gestão, ou seja, de 2015 a 2018, foram retomados 44.569.218,68 metros quadrados de terrenos pertencentes ao Poder Público.