Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/07/20 Ă s 18h58 - Atualizado em 21/07/20 Ă s 20h22

🐝Bombeiros fazem orientaçÔes em casos de ataque de abelhas

COMPARTILHAR

Adriana Machado, da Ascom – SSP/DF

 

O aumento de incĂȘndios florestais, e consequente desmatamento, neste perĂ­odo de estiagem pode provocar a mudança de colmeias para locais seguros. Somado com as temperaturas elevadas durante o dia, as abelhas podem migrar da zona rural para ĂĄrea urbana em busca de ambientes mais frescos para construĂ­rem suas colmeias. Por conta disso, pode haver o aumento de incidentes com abelhas nesta Ă©poca do ano.

 

No Ășltimo final de semana, houve um ataque no estacionamento 6, no Parque da Cidade. Durante o incidente, um cĂŁo acabou morrendo devido ao ataque dos insetos.

 

É importante que a população tenha ainda mais atenção ao passar por locais arborizados. O cuidado deve ser redobrado com as crianças e os idosos. “É orientar as crianças para que nĂŁo brinquem prĂłximas Ă s abelhas e em nenhum momento joguem objetos ou tentem bater nelas”, explicou o chefe da equipe de InformaçÔes Operacionais do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), tenente FĂĄbio Bohle.

 

Mas a orientação de nĂŁo tentar matĂĄ-las estende-se aos adultos. “O ideal Ă© nĂŁo fazer isso, pois a situação pode se agravar. Ao serem atacadas, as abelhas liberam hormĂŽnios, uma espĂ©cie de autodefesa. Desta forma, o enxame Ă© atraĂ­do e a pessoa poderĂĄ ser atacada por um nĂșmero ainda maior de insetos”, completou o tenente.

 

EmergĂȘncias
Em caso de emergĂȘncias, o ideal Ă© ligar imediatamente para o telefone 193. De acordo com o militar, muitas pessoas podem nĂŁo saber que sĂŁo alĂ©rgicas. “Mesmo que nĂŁo acione o Corpo de Bombeiros, Ă© importante ficar atento aos sintomas e procurar um mĂ©dico, pois grande parte dos alĂ©rgicos nĂŁo sabem que sĂŁo atĂ© serem picados”, disse.

 

Outra orientação Ă© que ao se deparar com uma colmeia em construçÔes ou ĂĄrvores, deve-se entrar em contato com o 193 para que seja feita a retirada para outro local. É importante tentar isolar o lugar em que se encontra a colmeia ou sinalizĂĄ-lo atĂ© a chegada dos bombeiros, para evitar que outras pessoas sejam atacadas.

 

 “Temos contato com apicultores que transportam as colmeias para locais seguros, sempre no perĂ­odo noturno, que Ă© o ideal. Alertamos que o cidadĂŁo nĂŁo deve tentar fazer isso sozinho, pois Ă© necessĂĄrio ter expertise e uso de roupas adequadas para esta remoção”, finalizou Bohle.

 

Edição: Nicole Vasconcelos

Foto: AgĂȘncia BrasĂ­lia

Leia também...