Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/04/19 às 18h27 - Atualizado em 9/04/19 às 17h47

Batalhão Ambiental apreende cerca de mil animais silvestres

COMPARTILHAR

 

Adriana Machado

 

No primeiro trimestre deste ano, o Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) apreendeu 1001 animais silvestres e fez o resgate de 674. Por conta das apreensões feitas, 162 Termos Circunstanciados foram lavrados. Também foram realizados 106 atendimentos por maus-tratos de animais.

 

“A maior parte dos atendimentos são apreensões de animais silvestres, em sua maioria aves. Só no ano passado apreendemos 5.210. Por meio de patrulhamento, identificamos os animais sendo mantidos em residências sem a devida autorização do IBAMA”, explicou o comandante do BPMA, major Souza Júnior.

 

Após a apreensão, os animais são encaminhados para o Centros de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA. “Dependendo do local do resgate e se o animal estiver em boas condições, optamos por liberá-los no meio ambiente”, disse o comandante.

 

Os resgates foram realizados por meio de solicitações. “É importante que, caso o cidadão se depare com um animal silvestre em casa ou em qualquer outra área urbana, entre em contato conosco por meio de nossos canais de atendimento, para que possamos resguardar a vida humana e do animal”.

 

Em junho do ano passado, o BPMA lançou o WhatsApp Adoção, serviço que pode ser acessado pelo mesmo telefone utilizado para fazer denúncias, o 99351.5706. Interessados em adotar animais resgatados pela unidade policial podem preencher uma ficha cadastral e participar da lista de espera para adoção.

 

“A partir do momento em que a pessoa encaminha o pedido, nós avaliamos se ela tem capacidade de manter o animal, oferecer comida, espaço e carinho”, orienta o comandante do BPMA. “Muitos desses animais já sofreram, inclusive, violência psicológica. Então, é importante que eles não revivam isso.”

 

Neste primeiro trimestre, o serviço viabilizou a adoção de 30 cachorros e sete equinos.

 

 

Edição: Lanna Morais