Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/05/19 às 12h03 - Atualizado em 20/05/19 às 16h17

?Alunos do curso de teatro da SSP/DF se apresentam para estudantes

COMPARTILHAR

Nicole Vasconcelos, da Ascom – SSP/DF

 

Cerca de 150 alunos, de 8 a 10 anos de idade, de escolas públicas e particular, assistiram, na quinta-feira (16), a peça A Coisa Impetuosa, apresentada em um colégio na Asa Sul. Foram duas sessões, uma na parte da manhã e outra à tarde. O espetáculo é resultado de oficinas de teatro realizadas no CEU das Artes, no Recanto das Emas, com crianças entre 6 e 13 anos, moradoras da região. Alunos do Centro Educacional 308, do Recanto das Emas, que faz parte do grupo de escolas de gestão compartilhada de ensino, estiveram entre os convidados.

 

A apresentação durou aproximadamente 30 minutos, e, logo após, os organizadores ministraram uma palestra sobre o tema.

 

As aulas dessa oficina de teatro foram realizadas por servidores da Secretaria de Segurança Pública (SSP/DF), pertencentes à Subsecretaria de Prevenção ao Crime (Suprec). Eles são responsáveis por desenvolverem, com crianças, adolescentes e jovens, atividades de prevenção à violência e à criminalidade, baseadas na filosofia de polícia comunitária.

 

O Coordenador de Pastoral do Colégio onde a peça foi apresentada, Igor Leonardo Silva Penha, frisou o grau de importância do assunto para os estudantes.” Recebemos aqui o espetáculo A Coisa Impetuosa, promovido pela Secretaria de Segurança. Nossas crianças se sentiram maravilhadas, nossa equipe de coordenação e nossos professores, por se tratar de um trabalho que aborda algo tão comum e ao mesmo tempo, que nos assusta tanto, que é a questão da violência”.

 

Ele exaltou a capacitação das crianças e a excelência do projeto. “Ficamos admirados como eles interagiram e como eles estão preparados. E com a consciência de que, se nós não brincarmos, se nós não levarmos para as ruas o nosso espírito de criança, nós não teremos um futuro, como criança, como futuros pais, como futuros avós”, completou.

 

De forma lúdica e pedagógica, esse espetáculo aborda, com linguagem adequada à compreensão de crianças a partir de 8 anos, a importância de seus direitos, como à uma infância segura e protegida e espaços adequados às brincadeiras.

 

Sinopse:

No ano de 2500, as crianças ficam reclusas em suas casas por causa da violência que transformou o lugar em uma Cidade Sitiada. Nessa cidade, apenas os adultos podem sair das residências e ainda assim, armados, pois a violência contaminou todo o meio ambiente – bombas foram plantadas no chão ao invés de árvores e o ar tornou-se poluído demais. As crianças fazem todas as suas atividades pela internet. O contato com outros garotos só é possível por meio de avatares digitais. Falar a expressão “violência” é proibida entre eles, que a conhecem como A Coisa Impetuosa. Bia, uma menina muito esperta e inteligente, juntamente com sua irmã Paty, constroem uma máquina do tempo e retornam ao ano de 2019 para alertarem as crianças do passado a ocuparem as ruas e praças públicas com brincadeiras, pois assim o futuro trágico com “cidades sitiadas” não poderá mais existir. Ao retornarem da viagem no tempo, Bia e Paty encontram um diário que passa pela fresta do tempo-espaço da máquina.

 

O Diário parece ter sido escrito por uma criança do início da guerra de 2200 – A guerra da violência – a grande vitória da Coisa Impetuosa. O Diário possui uma lista de várias brincadeiras de rua, além de um relato pessoal da criança que parece ter passado seus últimos dias em um lugar sombrio e solitário. Bia comunica-se com seus amigos pela internet e, juntos, decidem sair de casa disfarçados com os seus avatares digitais para experimentarem as brincadeiras do diário em um velho galpão abandonado. No meio de uma das brincadeiras uma “criança fantasma” aparece atrás do diário e em seguida é levada pela Coisa Impetuosa – o monstro horrível da violência. Esse episódio assustador encoraja a todas a irem atrás da criança fantasma e seu diário. Juntas, as crianças ultrapassam os limites da Cidade Sitiada encontrando novos mundos até chegarem na Coisa Impetuosa.

 

Edição: Adriana Machado e Lanna Morais