Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/05/18 às 13h15 - Atualizado em 15/05/18 às 13h19

Abril fecha com redução em assaltos a residências

COMPARTILHAR

Igor Nogueira 

 

O mês de abril terminou com 56 casos de roubos dentro de residências, o que significa 30 registros a menos, em comparação com igual período do ano passado, quando houve 86 ocorrências.  Cinco criminosos foram presos em flagrante no último mês. Esse tipo de crime foi o que registrou a maior queda no espaço de tempo analisado – redução de 34,9%.

 

Em 90% dos assaltos contabilizados em abril, os criminosos aproveitaram alguma vulnerabilidade do ambiente para conseguir entrar no imóvel, como portas e portões destrancados. Para evitar o crime, a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) orienta a população a adotar algumas medidas de segurança, como:

 

– Verificar se portas e janelas estão fechadas antes de sair de casa;

– Prestar atenção em movimentação de pessoas estranhas nas ruas;

– Manter uma rede de proteção entre vizinhos;

– Verificar a iluminação do lado externo da residência;

– Ao chegar em casa e se deparar com o portão aberto, não entre e acione imediatamente o 190.

 

De acordo com o comandante do 24º Batalhão de Polícia Militar do Lago Norte, major Nafez Imamy Cury, projetos como a Rede de Vizinhos Protegidos, desenvolvido na região, são importantes para aproximar a unidade policial da população. A iniciativa consiste em promover uma rede de cooperação mútua entre os vizinhos com objetivo de proteger as residências e alertar imediatamente a polícia nos casos de suspeita da ação criminosa. Os moradores também são orientados pelos policiais a adotarem medidas simples que podem evitar o crime.

“Por meio do contato direto e permanente com a comunidade fazemos um levantamento mais apurado sobre a segurança da cidade e definimos como será feito o policiamento, quais horários e locais precisam de maior atenção, por exemplo”, afirmou Cury.

 

A população também pode contar com os Conselhos Comunitários de Segurança (Conseg), que realizam reuniões mensais com lideranças comunitárias, forças de segurança da área, além de órgãos como a Administração Regional e a Agência de Fiscalização. Toda demanda, seja de segurança pública, social ou infraestrutura, é filtrada e encaminhada aos respectivos órgãos para as devidas soluções.