Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/07/19 às 12h37 - Atualizado em 9/07/19 às 12h37

?Operação Areal prende associação criminosa acusada de roubo de veículos

COMPARTILHAR

Divisão de Comunicação, da PCDF

 

A Polícia Civil do DF, por meio da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais – Corpatri, nesta terça-feira (9), deflagrou a Operação Areal para desarticular uma associação criminosa armada especializada em roubo de veículos nas regiões de Águas Claras, Vicente Pires e Arniqueiras.

 

Na ação foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão domiciliar nas regiões administrativas de Águas Claras, Riacho Fundo I e Recanto das Emas. Até o momento, sete autores foram presos e dois estão foragidos. Os policiais apreenderam também drogas – maconha, crack, cocaína, pasta base –, um carro clonado e duas armas de fogo e um simulacro de arma de fogo.

 

As investigações começaram em fevereiro deste ano após o roubo de uma caminhonete Nissan/Frontier em Águas Claras. Descobriu-se que um grupo criminoso, sediado no Areal, estava roubando veículos nas regiões de Águas Claras, Vicente Pires e Arniqueiras.

 

Conforme apurado, os autores, após identificarem um veículo de interesse, geralmente conduzidos por mulheres, faziam o acompanhamento do carro, às vezes por dias, para levantarem informações a respeito da rotina da vítima. Com isso, descobriam o local de trabalho, horários e etc. De posse dessas informações, escolhiam o melhor dia e local para praticarem os crimes.

 

Após o roubo, os autores escondiam os veículos em quadras comerciais do Setor Bernardo Sayão, no Núcleo Bandeirante, onde, por até 24h, os deixavam “esfriando”. Para resgatar os veículos roubados os autores solicitavam serviços de guinchos e levavam os carros para Valparaíso/GO e Novo Gama/GO. Os veículos eram trocados por entorpecentes.

 

De acordo com as investigações, o grupo criminoso, por duas vezes, contando com a ajuda de um funcionário da empresa, roubou veículos de uma transportadora no DF. Na ocasião, os autores conseguiram subtrair a carga dos automóveis que foi avaliada em, aproximadamente, R$ 100 mil. Parte dessa carga foi recuperada.

 

Todos os integrantes do grupo criminoso foram identificados durante a investigação da Divisão de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos – DRFV/Corpatri. Os bens roubados também foram recuperados no curso das investigações. Os investigados responderão, na medida de suas respectivas condutas, pela prática dos crimes de associação criminosa armada (1,5 a 4,5 anos de reclusão) e roubo majorado (6 a 16 anos de reclusão).