Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/11/19 às 12h54 - Atualizado em 12/11/19 às 13h23

?Delegacia Eletrônica registra quase 30% das ocorrências da PCDF

COMPARTILHAR

Adriana Machado, da Ascom – SSP/DF

 

De janeiro a setembro deste ano, foram registradas 313.409 ocorrências pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). Do total, 29%, ou 91.725, foram via Delegacia Eletrônica. No ano passado, o número não foi diferente. Foram registradas 306.979 ocorrências no mesmo período, sendo que 91.980 pessoas buscaram o serviço eletrônico. Furtos diversos lideram os registros realizados nos dois anos.

 

Os dados mostram que a comodidade da internet para o registro de crimes tem atraído cada vez mais a população do Distrito Federal. “O grande número de registros online acaba desafogando os balcões das delegacias e direcionando os agentes para investigação”, ponderou o delegado-chefe da Delegacia Eletrônica, José Grana.

 

Em funcionamento desde 2005, era possível registrar apenas três naturezas criminais: acidente de trânsito sem vítima, extravio e furtos diversos. Desde então, o sistema passou por mudanças e foi possível não apenas a inclusão de novos serviços. Atualmente, o cidadão pode registrar ocorrências relacionadas a:

Furtos diversos, como de carteiras, por exemplo;
Extravio ou perda de documentos e objetos;
Acidente de trânsito sem vítima;
Perturbação da tranquilidade, do trabalho ou sossego alheios;
Ofensas;

Ofensas raciais;
Ameaças;

Estelionato;

Maus tratos de animais;

Calúnia;

Injúria;

Difamação.

 

Após o registro na Delegacia Eletrônica, o fato é analisado por um policial civil. Atendidas as exigências legais, ele é homologado e uma cópia é encaminhada para o e-mail de quem registrou e também para a delegacia responsável pela investigação. “No total, onze pessoas fazem a análise de todas as ocorrências. Diferente de outros estados, adequamos as informações fornecidas pelo cidadão aos moldes da Polícia Civil. Somente depois homologamos. Uma equipe coesa, mas com efetividade nos serviços prestados”, explicou Grana.

 

Caso seja necessário fazer alterações ou retificações na ocorrência, o cidadão deve enviar a solicitação pelo endereço eletrônico ou ainda entrar em contato pelo telefone 197, na opção 2.

Para outras ocorrências ou para aquelas que necessitem de um atendimento imediato ou perícia, o interessado deverá procurar pessoalmente a delegacia de polícia mais próxima do local onde ocorreu o fato ou da própria residência.

 

Praticidade

Em julho deste ano, houve uma alteração no Sistema de Ocorrências Policiais da PCDF. Desta forma, passou a ser permitido imprimir os boletins de ocorrência registrados nas delegacias, sendo necessário o número do recibo ou QR Code.

 

A medida também é uma facilidade para ocidadão. “Antes, era necessário o solicitante retornar à delegacia após o registro da ocorrência, 24 horas depois. Além da facilidade, é uma forma de economia para o Estado e muitas vezes o solicitante precisa da ocorrência de forma digital”, completou Grana.

 

O serviço não vale para ocorrências que envolvam menores, mulheres em situação de violência e domésticas e crimes sexuais.

 

Integração das forças
Em fevereiro deste ano, o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) deu início ao registro eletrônico de acidente de trânsito sem vítima e sem dano ao patrimônio público. O agente de trânsito que atender esse tipo de ocorrência pode, no local do fato, efetuar o registro eletrônico, por meio do sistema PCDFNET, da PCDF.

 

Em junho de 2018, foi assinado um termo de cooperação entre as duas instituições que autoriza agentes de trânsito a efetuarem o registro de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) em casos de crimes de trânsito de menor potencial ofensivo.

 

A medida permite que o registro dos acidentes pelos agentes de trânsito permitirá aos envolvidos receberem, no local do fato, o número da ocorrência, não sendo necessário o deslocamento até uma delegacia de polícia. Além disso, os dados estatísticos permitirão ao Departamento a definição de ações de segurança viária que possibilitem a redução de acidentes de trânsito.

 

O acordo também foi feito com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF). Os agentes estão passando por capacitação para operar o sistema PCDFNET.

 

Edição: Lanna Morais