Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/03/20 às 19h37 - Atualizado em 11/03/20 às 19h38

👩‍🚒😷Bombeiros e SAMU fazem curso de atualização em coronavírus

COMPARTILHAR

Agência Brasília

 

A Secretaria de Saúde promoveu, nesta quarta-feira (11), o I Curso de Atualização em Coronavírus (Covid-19) no DF, para servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e militares do Corpo de Bombeiros. O objetivo foi atualizar às equipes de atendimento pré-hospitalar quanto aos dados da doença, além de lembrar as medidas de prevenção e controle, com orientações para o uso racional dos equipamentos de proteção individual (EPIs).

 

“A desinformação e o excesso de informações distorcidas deixam os profissionais mais expostos. Fizemos essa atualização para esclarecer e ajudá-los a identificar os sintomas do coronavírus, os fatores de risco, como proceder no transporte de casos suspeitos e orientar com relação ao uso do EPIs. É uma forma de prepará-los”, informou a chefe do Núcleo de Educação e Urgência do Samu, Letícea Moraes, uma das coordenadoras do curso.

 

As atividades teóricas foram apresentadas no auditório da Academia de Bombeiros Militar para mais de 300 participantes, entre servidores e militares. Os principais temas abordados foram: a forma correta de higienizar as mãos e viaturas; como atuar em casos suspeitos ou confirmados; e sobre o descarte correto de EPIs, como gorro, máscara, capote ou luvas.

 

Na abertura do evento, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do DF, coronel Lisandro Paixão, reforçou que o curso é uma forma de unificar ainda mais as ações da corporação com o Samu. “Nossa intenção é integrar, de forma que não aja nenhuma barreira para atuar em conjunto”, afirmou Paixão. “Se estivermos bem preparados, teremos uma situação mais amena”, ressaltou.

 

“Precisamos tomar atitudes rapidamente, e orientar parceiros como os bombeiros é fundamental para eles saberem como lidar com o coronavírus, que já bateu a nossa porta e é uma realidade”, afirmou o diretor do Samu, Alexandre Garcia. “Eles precisam estar orientados a como usar os equipamentos de proteção individual, tirar todas as dúvidas de como transportar e para onde transportar os pacientes”, destacou.

 

Dados

Durante o curso, foi apresentado aos participantes a situação atual do Covid-19 no Distrito Federal, no país e no mundo. No mundo, até ontem (10), foram 113.702 casos confirmados.

 

“Se analisarmos, 80% dessas pessoas vão ter uma resposta leve a doença. Dos 20% restantes, 6% vão ter estado crítico, e do total, 2% podem vir a óbito. Para cada 100 pessoas que terão, duas podem vir a óbito. Por isso é importante lembrar: não é qualquer caso que será grave”, avaliou o diretor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Cássio Peterka.

 

Quanto as medidas para evitar a doença, a Referência Técnica Distrital (RTD) de Infectologia da Secretaria de Saúde, Lívia Pansera, reforçou a importância de os participantes do curso estarem atentos a elas, que são simples, mas podem prevenir o coronavírus.

 

“Higiene frequente das mãos, com álcool ou água e sabão, de preferência sabonete líquido. Evitar tocar a face, por conta das mucosas, e ter etiqueta ao tossir ou esperar, usando o espaço do cotovelo e lenços de papel. E como vocês estão aqui, devem ser propagadores dessas medidas”, explicou Pansera.

 

Continuação

O curso continuará a partir da próxima semana, com atividades práticas. Serão realizados treinamentos nos núcleos do Samu e nos quartéis do Corpo de Bombeiros para orientar os servidores e militares sobre o uso correto dos EPIs, com demonstrações de como colocar e retirar as roupas especiais sem ficarem exposto a doença.

 

“Mostramos na parte teórica o que ocorre e o que deve ser feito. Na prática, os profissionais terão como ser acompanhados e poderão tirar dúvidas específicas enquanto são orientados. A ideia com isso é termos a adesão de todos que estão na ponta”, informou o diretor-geral do Complexo Regulador de Saúde, Petrus Sanches, presente no curso.

 

Os responsáveis por fazer o curso in loco são profissionais do Núcleo de Controle de Infecções, do Núcleo de Vigilância Epidemiológica e do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente da Secretaria de Saúde.